O Home Office e ou trabalho em casa vem se expandindo no Brasil com o avanço das tecnologias.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

COMPORTAMENTO EMPREENDEDOR




PERSUASÃO E REDE DE CONTATOS





Um empreendedor está sempre em contato com muitas pessoas: clientes, fornecedores,  concorrentes, técnicos, especialistas de diversas áreas etc.



Muitas vezes são pessoas que não estão diretamente ligadas ao seu negócio mas que a, qualquer momento, podem ser úteis.
Busque manter contato com as pessoas que podem se tornar fonte de informações e/ou soluções para você.



Todo empreendedor precisa mais do que uma rede de contatos: precisa saber convencer pessoas a fazerem o que ele deseja.



Convencer o cliente a comprar mais ou o fornecedor a entregar mais rápido, por exemplo.

Mas, para convencer alguém, é preciso ter bons argumentos, é preciso que estejam de acordo com os interesses da pessoa que está sendo convencida.




Fonte: Sebrae


quarta-feira, 29 de abril de 2015

PLANO DE NEGÓCIOS

PLANO DE NEGÓCIOS




Nenhuma empresa é uma ilha isolada. 





Qualquer empreendimento exige relacionamento, seja para ampliar negócios, melhorar o próprio desempenho ou captar recursos. em todos estes casos é importante que a sua empresa tenha um plano de negócios.






Nas próximas postagens você vai saber como elaborar o seu. 



Fonte Sebrae




segunda-feira, 27 de abril de 2015

OS 4 CS DO CRÉDITO

OS 4 Cs do Crédito



Os bancos usam critérios muito semelhantes para avaliar um crédito, baseados no que é conhecido como 4 Cs do crédito.



Caráter
A intenção de pagar. O objetivo é conhecer e analisar o histórico da empresa junto ao mercado. Isso é feito por meio de Fixa Cadastral que reúne detalhes sobre a identificação, pontualidade, existência ou não de restrições ao crédito, experiência em negócios, e a atuação na praça.



Capacidade
A habilidade de pagar. É a avaliação da habilidade do empresário em conduzir seus negócios. É feito a partir da visita que o representante do banco fará à sua empresa. Nesta visita, as informações que o banco busca são a estratégia empresarial, a  organização e o funcionamento da empresa; a capacidade dos dirigentes da empresa e o tempo de atividade.


Condições
São as informações sobre o setor em que a empresa está inserida e os fatores que podem influenciar esse setor. Por exemplo, medidas de política econômica; fenômenos naturais e imprevisíveis, e os riscos que esse mercado oferece. Para isso, o banco utiliza informações sobre o mercado e os produtos; o ambiente macroeconômico e setorial; o ambiente competitivo e dependência do governo.



Capital
Essa é a análise econômico-financeira da empresa. Ela é feita com base nos balanços patrimoniais das empresas ou no patrimoniais das empresas ou no patrimônio e renda dos proprietários. Basicamente são usados dois critérios: as análises do balanço e o projeto de viabilidade econômico-financeira.

sábado, 25 de abril de 2015

SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO–TERCEIRA PARTE



SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO – TERCEIRA PARTE

Emprestimo






Com relação ao empréstimo, é necessário informar ao banco:





A natureza e finalidade do crédito;



As características das garantias, principalmente se elas são suficientes para cobrir o valor do crédito e se podem ser convertidas em recursos com facilidades;




O valor do empréstimo.



Fonte: Sebrae 




Continuação na próxima Postagem...




quarta-feira, 22 de abril de 2015

SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO–SEGUNDA PARTE



SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO–SEGUNDA PARTE

dividas-emprestimos-pessoais
Fonte: educação



Classificar o risco que o crédito representa, de forma consistente e verificável, é obrigação de todos os bancos, determinada pelo Banco Central, para avaliar os seguintes aspectos em relação a empresa que solicita o empréstimos e seus garantidores:




A situação econômico-financeira;


O grau de endividamento;



A capacidade de gerar resultados;



O fluxo de caixa da empresa;



A administração e a qualidade dos controles;


A pontualidade ou os atrasos nos pagamentos;


As contingências;



O setor de atividade econômica;



O limite de crédito.




sexta-feira, 17 de abril de 2015

SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO




Solicitação de Financiamento
Financiamento



Outra alternativa é recorrer a um empréstimo bancário para capital de giro para capital de giro. Seu fluxo de caixa  indica de quanto é sua necessidade de recursos para resolver o problema. Essa pode ser uma situação difícil, ou não. Tudo depende de como você estiver preparado para enfrentá-la. Saber exatamente o quanto precisa é a chave para você administrar o pagamento com recursos da empresa.


CRÉDITO: É mais do que dinheiro, é acima de tudo, uma relação de confiança. Quando você confia em alguém, você dá crédito a essa pessoa. Mas quando não confia… 


Ela terá de conquistar sua confiança para ganhar crédito com você. Com os bancos acontece a mesma coisa. Eles só irão emprestar recursos à sua empresa, se confiarem nela. 


Até porque a função original de um banco é captar recursos onde eles estão disponíveis, para aplicar onde eles são necessários financiando a produção. 

Ao concordar em emprestar esses recursos, o banco precisa ter certeza de que esse dinheiro vai retornar.



Continuar na próxima postagem…




quarta-feira, 15 de abril de 2015

SOLUÇÕES EXTERNAS

















NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDOR





Se, apesar das medidas citadas, você ainda precisar de mais recursos, o primeiro passo é a negociação com seus fornecedores. Lembre-se o fornecedor é um importante parceiro de sua empresa. Coloque-se na posição em que ele está e tente ver o problema do ponto de vista dele.






Algumas recomendações:





Ø Procure manter um bom relacionamento e um bom histórico: Seus fornecedores são seus parceiros. A superação de situação difícil no passado pode determinar a conduta do fornecedor no futuro.





Ø Aja de forma honesta e objetiva: Mesmo que a situação seja difícil, converse com o fornecedor e exponha sua situação.



Ø Dê uma previsão de pagamento concreta ao fornecedor: É melhor ele saber que o pagamento vai atrasar uma semana, do que não saber “se ou quando” irá receber.










quinta-feira, 9 de abril de 2015

QUANDO FALTAM RECURSOS


Natue_Thermo Goji


Se a empresa estiver com falta de recursos existem algumas medidas que você pode tomar no ambiente interno da empresa. Antes de contrair uma dívida. Por exemplo:

  Melhorar o sistema de cobrança da empresa, controlando, de perto, as contas a receber;


 Reduzir o prazo de pagamento das vendas – ao tomar estas medidas, tenha cuidado de verificar o impacto em sua previsão de vendas;


Melhorar o desempenho dos estoques – você pode passar a comprar apenas o que é de extrema necessidade e que vende bem, com alto giro de capital;





 Programar o pagamento das compras em função dos recebimentos da empresa – procure casar a entrada de dinheiro das vendas com a saída de dinheiro das compras;

  Negociar prazos de pagamentos com seus fornecedores – solicite maiores prazos para as futuras compras;


Negociar prazos de pagamentos com seus fornecedores – solicite maiores prazos para as futuras compras;




  Vender ou negociar bens e fornecedores ociosos.



Fonte: Sebrae


quinta-feira, 2 de abril de 2015

SOLUÇÕES INTERNAS






Dentro da empresa, você pode se defrontar com duas situações relacionadas ao FLUXO DE CAIXA e que exigem uma solução interna.





QUANDO SOBRAM RECURSOS




É preciso pensar cuidadosamente, antes de decidir o que fazer. Eis algumas opções:


  1. Avaliar com muito critério a possibilidade de aumentar o nível de estoques  - essa é uma alternativa que só vale a pena se o custo das mercadorias for compensador e muito baixo o risco de não terem saída comercial;
  2. Ampliar os prazos de pagamento para os clientes, visando o aumento das vendas – não esqueça de verificar, cuidadosamente, a necessidade futura de capital de giro e sua capacidade para atender ao aumento de demanda dos seus clientes;
  3. Expandir a empresa, investindo em equipamentos e outros recursos – expandir o atendimento, aumentar a conveniência do cliente ou a oferta de produtos são iniciativas que exigem um planejamento cuidadoso para o bom funcionamento da empresa;
  4. Aplicar o dinheiro em um investimento seguro – ter uma aplicação em outros investimentos pode ser importante numa eventual necessidade.
Fonte: Sebrae





quarta-feira, 1 de abril de 2015

PROBLEMAS E SOLUÇÕES



O que fazer quando faltam recursos no seu fluxo de caixa? Como sair do vermelho? Como conseguir crédito para sua empresa? 






Veja alguns problemas e algumas alternativas que você  pode encontrar na área financeira.



ADMINISTRAÇÃO O FLUXO DE CAIXA



DICA:


Fazendo o acompanhamento das contas, por meio do FLUXO DE CAIXA, é possível perceber, com antecedência, se a empresa está trabalhando com folga ou muito apertada, isto é se vai haver falta ou sobra de dinheiro naquele período.

O fluxo de caixa é o resultado de tudo que você imagina que vai acontecer com sua empresa, comparado com que realmente aconteceu. O que você previu e o que se realizou.
PRINCIPAIS CAUSAS QUE LEVAM O FLUXO DE CAIXA A FICAR APERTADO
As causas que determinam a falta de recursos em um fluxo de caixa são, praticamente, as mesmas em empresas de todos os tamanhos, ramos e atividades. Veja:





  1. CUSTO FIXO ALTO: As despesas com pró-labore, aluguel e com todos os outros pagamentos necessários para manter a empresa funcionando.



  2.   VENDAS INSUFICIENTES: Se você fez um planejamento de vendas e o resultado não saiu como esperava.
  3. PRAZO DE VENDAS MUITO ALTO: Quando você dá cliente um prazo muito longo para o pagamento.



  4. ESTOQUE ACIMA DO NECESSÁRIO: Manter mercadoria parada é desperdício, é dinheiro desvalorizando no estoque.
  5. VENDAS QUE NÃO GERAM MARGEM SUFICIENTE: Comercializar produtos que possuem margem de contribuição pequena e dependem de um grande esforço para vender.

  6.  AQUISIÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS: Se não tiver sido bem planejada a compra de novas máquinas isto pode deixar o seu caixa no vermelho.

    Informática