O Home Office e ou trabalho em casa vem se expandindo no Brasil com o avanço das tecnologias.

sábado, 14 de abril de 2012

CONCLUSÃO SOBRE O TELETRABALHO E PESQUISA

CONCLUSÃO SOBRE O TELETRABALHO E PESQUISA




Teletrabalho
O presente trabalho verificou que hoje as empresas com o mundo virtual têm uma nova modalidade para que seus colaboradores possam estar efetuando os seus trabalhos. Onde eu pude  comprovar através de pesquisas realizadas que além de facilitar a vida das empresas principalmente no quesito custo x beneficio, existe a questão da qualidade de vida seja para o colaborador como para a sociedade como um todo.

Trabalho remoto
No estudo realizado aprendi o quanto o trabalho remoto tem se tornado importante tanto no Brasil como no exterior, onde no ultimo já vem sendo desenvolvido há muitos anos e até mesmo existem países que incentivam empresas com benefícios fiscais para que seus colaboradores possam trabalhar em casa.


Em se tratando do Brasil, apesar de a legislação para o trabalho remoto estar com esta polemica nos seus textos como já citados, porém isto não vem atrapalhar o crescimento do número de trabalhadores. E os motivos são muitos e aos poucos as próprias empresas percebem que, em alguns casos, é mais vantajoso manter o funcionário trabalhando remotamente, que manter uma estrutura apenas para tê-lo no escritório.
Estudei as novas tecnologias que tendem a facilitar esta modalidade, sendo a internet uma das principais ferramentas. Observamos as vantagens que são muitas dentre elas aparece à questão do transito que causa um grande estresse a população e prejuízos ambientais e a questão familiar onde os indivíduos passam a ter um convívio melhor.
Entre os benefícios para a empresa temos a redução do absenteísmo, custos, maior produtividade, retenção de talentos, e melhoria na satisfação interna. E para o colaborador verificamos que estão entre os benefícios melhores ganhos financeiros e a qualidade de vida, este é um novo contexto mundial, que não há como escapar do mesmo.
Apliquei na época do Trabalho de conclusão do curso junto aos meus colegas um questionário a alguns colaboradores aonde em sua maioria observamos que os mesmos trabalham na área tecnológica sendo eles analistas e desenvolvedores de sistemas. Suas opiniões nos demonstraram que fatores como produtividade e qualidade do trabalho podem aumentar a implantação dessa nova modalidade. Verificou-se, ainda, que as questões como produtividade e vantagens para o indivíduo e para a instituição estão intimamente ligadas, onde cerca de 80% deles acreditam que a produtividade aumenta quando se trabalha em casa. E 100% acreditam nas vantagens, dentre eles alguns descreveram que as vantagens estão ligadas ao deslocamento e o custo.
Apesar de 100% estarem acreditando nas vantagens observou-se que 90% dos mesmos acreditam que podem existir algumas desvantagens que estão ligadas ao convívio social, porém isto vem sendo superado com eventos produzidos até mesmo pelas próprias empresas, onde são promovidos encontros semanais para que os colaboradores não se sintam isolados do restante da equipe. Haja vista que os entrevistados sentem a falta da convivência com seus colegas, por este motivo procuram alternativas para socializar-se.
Verificamos também a questão do estresse que embora as opiniões estiverem divididas 70% dos entrevistados dizem diminuir o estresse do trânsito, por exemplo, e tem-se mais tempo para vida pessoal podendo se dedicar a atividades físicas sem se preocupar com trânsito e em chegar atrasado ao trabalho.

Visitamos a uma empresa que implantou o trabalho remoto, para realizarmos nosso estudo de caso, que possui cerca de 160 mil colaboradores e 120 deles já trabalham remotamente é um numero pequeno em vista do tanto de colaboradores existentes, porém a mesma já vem estudando a ampliação do mesmo para outras áreas dentre elas a de tecnologia.
Parte da área de tecnologia da empresa é desenvolvida por profissionais terceirizados dentre eles da IBM, sendo que alguns deles trabalham a partir de casa, consideramos nesta visita a questão da vantagem que nos foi informado que a mesma é transmitida tanto para a sociedade como para o meio ambiente na diminuição da produção de CO2 (dióxido de carbono).
Com base no estudo realizado, verificou-se que o teletrabalho é uma nova tendência mundial que pode impactar na estrutura das instituições, criando novas relações de trabalho, nas quais o contato com os indivíduos ocorre principalmente por meio das tecnologias de informação e de comunicação.
 A instituição que queira implantar o teletrabalho como nova dinâmica de trabalho deve estar preparada para lidar com questões que dizem respeito ao tratamento entre as pessoas, como lealdade e comprometimento com a instituição a que estão ligadas. E as pessoas que querem trabalhar têm que ter muita disciplina, conhecer informática e ter uma graduação específica. Na empresa que visitamos, por exemplo, só é contratado pessoal graduado. Abro um parágrafo aqui eu acreditava até aquele momento que necessitava da graduação, mas, no entanto conforme se cresce esta modalidade o que implica aqui é saber respeitar esta nova (na verdade velha com novos atributos) modalidade tendo os requisitos necessários que falo do perfil, onde este aspecto é o mais importante e saber teletrabalho chegou para ficar. Agora pude compreender que seja para que esta no alto escalão, na área administrativa e até mesmo nas áreas operacionais de Call Center, onde temos exemplos de empresas que falamos aqui que tem trabalho em casa.
Por fim, o presente estudo permitiu concluir que o trabalho remoto pode se apresentar como um elemento de importante transformação no mundo do trabalho, onde novas tecnologias possibilitam a flexibilidade no seu desenvolvimento. Porém, a sua implantação e seus impactos devem ser muito bem estudados para que não tragam problemas para a instituição e para os colaboradores. Faz-se necessário se pensar na questão da segurança e tecnologia. Não é fácil se trabalhar remotamente principalmente em se tratando de perfil psicológico que deve ser estudado, porém aprendemos que no Brasil já existe mais de 10 mil trabalhadores remoto, isto se deve ao aumento da tecnologia e ao entendimento das próprias empresas que como já vimos procuram alternativas para facilitar a vida do trabalhador. Avaliando-se com entendimento as condições envolvidas na proposta sendo permitida uma decisão favorável para implantação e um planejamento adequado ao seu sucesso.

Termino aqui dizendo que muitos enfrentamentos estão por vir e que eu junto com o pessoal do grupo Sobratt, não vamos nos intimidar e parar com esta luta.
Quero fazer aqui meu agradecimento a Deus que por Jesus Cristo tem me tirado de um calabouço para estar aqui neste mundo da internet divulgando este trabalho, porque sem Deus nada podemos fazer a meu pai (in memorian) que sempre me apoiou a minha mãe minha confidente a meus irmãos principalmente o Elevitico que me deu a mão e me levou para a Faac hoje Estácio. A sua esposa que também lhe apoiou e me apoiou até depois da formatura e estava lá no dia que me formei.  Ao meu esposo Arnaldo  que tem me suportado a quase 19 anos, aos meus filhos Calebe e Miriã que quantas  vezes ficaram sozinhos para mim estar na faculdade e na escola da Familia. Ao programa escola da Familia e ao Governador Geraldo AlKimin que usado por Deus criou este programa que fez com que muita gente que se formou na década dos anos de 1980 e 1990 e até antes se formaram no colégio hoje ensino fundamental e não tinham condições de fazer faculdade e hoje são profissionais no mercado. Ao grupo Sobratt que me recebeu sem me discriminar a Vera que tem me dado muito apoio ao Plinio Sergio a Ana Manssour, o Alvaro Mello foi o primeiro que me convidou a conhecê-los pessoalmente onde nos falávamos somente pela internet na época hoje quase todos os meses estamos juntos nesta jornada.

A minha patroa posso colocar assim que me conheceu na internet e me convidou para trabalhar com ela, onde hoje eu trabalho em casa na sua consultoria de RH Sbardelliconsultoria que sem me conhecer acreditou em mim e hoje me ensina muito e principalmente que  eu tenho que acreditar em mim e  a mesma tem me dado esta grandiosa oportunidade de estar  neste trabalho.

São tantas pessoas o Professor Rogério que tem me apoiado neste blog com seus conselhos.
Queridos leitores isto não é uma despedida estou findando uma etapa do blog, onde agora vou me dedicar a dar um novo rumo para ele fazendo novas pesquisas e aqui acrescentando novos temas, claro que sempre dentro do principal teletrabalho. Aceito aqui suas criticas, suas duvidas e elogios também.

Até a próxima postagem.






domingo, 8 de abril de 2012

LEI PARA TRABALHO REMOTO

LEI PARA TRABALHO REMOTO




trabalho remoto
Como parte do mundo do Direito, quando surgem novas formas de trabalho, é tarefa do estudioso do direito do trabalho determinar a natureza jurídica delas, incluindo-as em alguma das categorias legais existentes. Caso isso seja impossível, será preciso fazer uma reclamação ao legislativo para que sejam determinados seus parâmetros.


Uma análise preliminar pode levar-nos ao art. 2º da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas): "Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviços", o art. 3º: "Considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste mediante salário” e o art. 6º: “Não se distingue entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador e o executado no domicílio do empregado, desde que esteja caracterizada a relação de emprego".


Tais definições incluem a situação do empregado a domicílio, em sua condição de trabalhador remoto. Mas a definição encontrada não abrange totalmente esse novo empregado, porque o trabalho a domicílio e teletrabalho não são a mesma coisa.

Somente a análise das condições concretas de execução da prestação de serviços pode determinar a natureza jurídica do teletrabalho, levando em conta aspectos cíveis, comerciais ou trabalhista. É preciso determinar, caso a caso, se estão presentes os requisitos que configuram a relação de emprego como:
a)    Trabalho prestado por pessoa física;
b)    De forma não eventual;
c)    Onerosidade;
d)    Subordinação;
e)    Personalidade.
No caso do teletrabalho deve-se dar mais ênfase aos requisitos de subordinação e personalidade, pelo fato de tais aspectos se desconfigurarem com esse novo tipo de trabalho.
No ano de 2009 quando eu pesquisava os textos para fazer o Trabalho de Conclusão do Curso no qual me formei em Sistemas de informação eu escrevi o seguinte texto sobre a lei do trabalho remoto:
{No Brasil ainda não existe lei do teletrabalho, porém a Câmara analisa o Projeto de Lei 4505/08, do deputado Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES), que regulamenta o trabalho a distância.
Pela proposta, a relação de emprego no teletrabalho será regida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - Decreto-Lei 5.452/43). Entre outras prerrogativas, o teletrabalhador terá direito a salário, férias, feriados, licenças previstas na CLT e faltas por doença.
Como a jornada é aberta, os teletrabalhadores não terão, no entanto, direito as horas extras. A remuneração deverá, portanto, ajustar-se às horas normais de trabalho. Já os deveres do trabalhador à distância incluem a habitualidade na execução de tarefas e a prestação de contas quanto a gastos ordinários e extraordinários decorrentes das funções, entre outros. Ainda segundo o projeto, o teletrabalho deverá servir de instrumento para a criação de empregos, inclusive de vagas destinadas a pessoas com capacidade física reduzida.}
Agora com a mudança no ano passado das leis resolvi mudar o texto para o modo abaixo, porém depois de tanto analisar resolvi postar os dois para se entender melhor o que se queria ser dito na época e o que na verdade ocorreu agora. O novo texto segue abaixo:
No Brasil até o ano passado ainda não existia a lei do teletrabalho, porém a Câmara analisava o Projeto de Lei 4505/08, do deputado Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES), que regulamentaria o trabalho a distância.
Pela proposta, a relação de emprego no teletrabalho estaria regida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - Decreto-Lei 5.452/43). Entre outras prerrogativas, o teletrabalhador teria o direito a salário, férias, feriados, licenças previstas na CLT e faltas por doença.
Como a jornada é aberta, os teletrabalhadores não teriam, no entanto, direito as horas extras. A remuneração deveria, portanto, ajustar-se às horas normais de trabalho. Já aos deveres do trabalhador à distância estariam incluídos a habitualidade na execução de tarefas e a prestação de contas quanto a gastos ordinários e extraordinários decorrentes das funções, entre outros. Ainda segundo o projeto, o teletrabalho deveria servir de instrumento para a criação de empregos, inclusive de vagas destinadas a pessoas com capacidade física reduzida.
lei
No entanto o que ocorreu neste no ano passado foi uma alteração no artigo 6º que o mesmo dizia: “Não se distingue entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador e o executado no domicílio do empregado, desde que esteja caracterizada a relação de emprego". E passou a dizer:: Não se distingue entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador, o executado no domicílio do empregado e o realizado a distância, desde que estejam caracterizados os pressupostos da relação de emprego. Criando-se assim então uma nova lei que é a Lei de nº 12.551, de 2011.

Conclui-se então que com esta mudança que houve esta ocorrendo uma grande polêmica que fica embasada na questão das horas extras, onde grifei aqui no texto. Eu particularmente acredito que isto depende mais é de cultura que deve ser cultivada entre patrão e empregado, haja vista porque se o empregado é alto suficiente e cumpre suas atividades com resultados não há necessidade do patrão ficar lhe cobrando. E o mesmo também não precisa cobrar qualquer toque como extra. Vai tudo de se negociar. Enfim acho que a primeira lei estava com o texto melhor do que a que foi criada.

CONSTITUIÇÃO


Luiz Paulo Vellozo Lucas lembra que a Constituição prevê a proteção dos trabalhadores em áreas com intensa modernização tecnológica. "Trata-se de norma de eficácia contida, dependendo de criação de lei para sua regulamentação", lembra o parlamentar. No caso do Brasil, Vellozo Lucas observa que o teletrabalho já é uma realidade em diversas empresas. Em sua opinião, só não é adotado em maior escala devido à falta de regulamentação.
Ainda assim, é um grande avanço já que um dos maiores obstáculos para a disseminação do trabalho remoto no Brasil é a CLT, que não regulamenta a prática. Isso faz com que as empresas temam aumentar seus passivos trabalhistas por conta de processos na Justiça. Se depender da velocidade dos nossos congressistas deve demorar para que  a lei constar na CLT na verdade ela já consta mas não do modo que se previu e  se este impasse não houver alguém que venha ceder não teremos nem tão cedo um trabalho regulamentado em casa de verdade.  Pior para os profissionais, pior para as empresas.




domingo, 1 de abril de 2012

SEGURANÇA FÍSICA

SEGURANÇA FÍSICA



 


 


Quem trabalha em uma pequena empresa ou em casa esquece facilmente da questão da segurança física. Porém, a segurança física é fundamental para manter computadores e dados seguros e livres de riscos como roubo, perda de dados e danos físicos. Quem seguir três princípios básicos com relação à segurança física já avança em relação à grande maioria que nada faz a esse respeito. Esses princípios são: manter as pessoas indesejadas afastadas do seu equipamento, não permitir o acesso a todos e proteger a rede.
A ideia de restringir o acesso físico às áreas onde ficam instalados os computadores é no sentido de proteger seus componentes. É possível fazer isso com recursos de segurança física internos dos próprios computadores.
 BIOS: Configurar o BIOS para que o equipamento não inicie a partir de um disquete pode dificultar a remoção de senhas e dados das contas dos discos de sistema, por um invasor mal-intencionado.
Alarme: Às vezes, pode valer à pena investir na instalação de um alarme com sensor de movimento na sala onde fica o computador. Normalmente, em escritórios domésticos, os sistemas de segurança que cobrem a área do escritório geralmente são dedutíveis como despesas da empresa.
Syskey: O utilitário syskey, com suporte no Windows NT 4.0, no Windows 2000 e no Windows XP, protege o banco de dados de contas local, as cópias locais das chaves de criptografia do EFS (Encrypting File System, sistema de arquivos com criptografia) e outros itens aos quais os invasores não devem ter acesso.
Criptografia: O EFS, disponível em todas as versões do Windows 2000 e no Windows XP Professional, pode ser usado para criptografar pastas confidenciais do computador. Quer seja no laptop, no computador de mesa ou no servidor, o EFS adiciona uma camada extra de proteção.
Já para segurança externa usar uma trava de segurança do tipo cabo pode impedir que alguém remova o computador. Esse dispositivo é particularmente útil para laptops ou computadores de mesa pequenos que podem ser facilmente escondidos em capas ou casacos. Informações estas extraídas do curso da Intel site nextgenerationcenter.com, onde realiza cursos via internet entre eles o de trabalho remoto.


Stress no escritório

Podemos ver abaixo uma lista de ameaças de segurança física:

  •   Incêndio (fogo e fumaça);
  •   Água (vazamentos, corrosão, enchentes);
  •   Tremores e abalos sísmicos;
  •  Tempestades, furacões;
  •  Terrorismo;
  •  Sabotagem e vandalismo;
  •  Explosões;
  •   Roubos, furtos;
  •   Desmoronamento de construções;
  •   Materiais tóxicos;
  •  Interrupção de energia (bombas de pressão, ar-condicionado, elevadores);
  •  Interrupção de comunicação (links, voz, dados);
  •  Falhas em equipamentos;
  •  Outros.





Estes itens podem ser identificados através de um levantamento de análise de risco, sendo que este risco pode ocorrer tanto internamente nas empresas como fora. Lembrando-se que para o funcionário remoto o risco pode ser maior em se tratando de segurança, pois o mesmo estará com seu equipamento vulnerável no seu lar. Casa que tem crianças e animais, por exemplo, para se trabalhar remotamente além de se ter uma sala separada a mesma deverá estar completamente fechada o acesso da mesma deverá ser restrito ao trabalhador, se possível até para cuidar da limpeza da sala que possa ser ele mesmo que o faça. A segurança de equipamentos tem que se levar com seriedade e muito cuidado, pois poderá se pagar um preço bem caro se não for levado em consideração há tempo.





ARTIGOS RELACIONADOS:
SEGURANÇA
MOBILIDADE, TRABALHO REMOTO E NOVAS FERRAMENTAS COMO FATORES DE RISCO
SEGURANÇA CIBERNÉTICA: DESAFIO É CULTURAL
A QUESTÃO DE SEGURANÇA ESTA DIVIDIDA EM DOIS ÂNGULOS