O Home Office e ou trabalho em casa vem se expandindo no Brasil com o avanço das tecnologias.

domingo, 30 de outubro de 2011

A CULTURA DAS EMPRESAS

A CULTURA DAS EMPRESAS







Trem
Esta postagem é uma continuação do mês de junho, onde nela tenho falado sobre a greve dos trens. Sempre falo sobre trem, pois é a minha principal condução para o trabalho. 

miséria
 Hoje neste post quero falar um pouco sobre preconceito e no link acima se direciona ao blog de Ana Rita Fernandes que fala do preconceito e que o mesmo nos torna em um país de miseráveis. No meu entender eu penso mais longe a cultura brasileira em si nos torna um país de miseráveis, pois se acredita sempre, por exemplo, que se controlar pessoas fisicamente em um ambiente é o mesmo que ter certeza que eles estão trabalhando.  E os trabalhadores por sua vez também acreditam que tem de sair de suas casas para se sentir que irão para o trabalho. E miséria esta associada a tudo no Brasil sempre baseada nesta cultura ultrapassada, não criando novos meios de crescimento por falta de incentivo  ao empreendedorismo e as novas modalidades.

evangelizar
É por isto que na postagem de junho mostra que se precisa primeiro acima de tudo evangelizar este é o termo usado. No mundo evangélico depois de muitas guerras, lutas enfrentamentos e mudança de cultura para distribuí-lo fizeram com que o preconceito parcialmente neste mundo se distinguisse e hoje podemos conviver com qualquer religião em paz, é logicamente que em partes, pois ainda tem muito chão para se percorrer.


digital
E no mundo digital  não será diferente, pois mesmo depois de anos de mudanças e a chegada de novas tecnologias ainda existe muitos no tempo antes da máquina como na revolução industrial. É até assustador pensar, mas talvez essa seja a ultima novidade, ou seja, ultima criação do homem em termos de facilidade, ou talvez não nunca se saiba o que ainda pode vir, porém sabemos que a cada novidade existe a resistência e a dificuldade de aceitação e esta é uma que afetou de cheio não só os empregados, mas também os empregadores.

exame
Porque quando se trata de mudar o comportamento do empregado para criar lucro para o empregador isto é até fácil de aceitar, mas quando se tem que mudar o comportamento dos dois e falar para o empregador “Você não precisa ter um empregado aqui para te dar lucro.” É quando ele se assusta, porque ele esta acostumado a dar ordens, a pressionar, até mesmo a ameaçar, ou chantagear.
minutoarapiraca

images
E se vê que este seu empregado pode ter liberdades nunca antes existente, sem a necessidade de estar perto para estar produzindo, ou seja, que o importante é a maneira que ele trabalha em qualquer lugar do mundo, e que a pressão e o comando lhe são tirado fica difícil aceitar. Onde há muito diziam que as máquinas iriam substituir o homem no trabalho, se vê uma nova ordem mundial, o homem que é mais criativo continuara trabalhando, porém sem ter que estar com seu corpo preso dentro de um espaço sim livre em qualquer lugar até na praia podendo se conectar com o mundo.

working
Agora chegou a hora de mudar, assim como as máquinas substituíram as rocas no mundo antigo, no mundo digital também pode se trabalhar sem precisar estar presente no trabalho, lembrando que é claro não é todas as funções, porém as que não dependem de corpo estas poderão ser modificadas.


“Quando falamos de mudanças que decorrem de novas realidades econômicas imediatamente pensamos em globalização. Na verdade, o fenômeno da globalização e o desenvolvimento tecnológico andam juntos, pois o último foi essencial para a possibilitar a globalização. Como diz Naisbitt, "as telecomunicações são a força propulsora que está, simultaneamente, criando a gigantesca economia global e tornando as suas partes menores e mais poderosas” (1994:53). A tendência no mundo atual são empresas pequenas e médias ou grandes corporações reestruturadas num sistema de redes de empreendedores. A razão está na necessidade das empresas terem maior flexibilidade nestes tempos de mudanças aceleradas, com propensão a permanecer.” (Mesquita Fetzner; Maria Amélia de, A Viabilidade do Teletrabalho na Procempa. Dissertação (Mestrado em Administração–Modalidade Profissional) Universidade Federal do Rio Grande do Sul- Rio Grande do Sul).
teletrabalhador















Assim podemos entender que dentre as profundas modificações experimentadas na sociedade e, em especial, as que se produzem no mundo do trabalho observamos movimentos em direção a formas de trabalho flexível, entre as quais se insere o Teletrabalho. Sem ser propriamente novo no cenário mundial, como já vimos antes e no Brasil ele surge com maior expressão recentemente, passando a ocupar espaços na mídia em geral e nos ambientes universitários.

Todavia, são poucas as referências acadêmicas brasileiras ao assunto e estudos se fazem necessários, porque o acesso cada vez mais facilitado à internet resulta na possibilidade de recolher uma grande quantidade de informação, anteriormente dificultada por distâncias físicas. A utilização da rede traduz-se num aumento de produtividade (uma vez que evita deslocações de casa para o local de trabalho, assim como visitas a clientes e fornecedores).
working















As transformações tecnológicas que interligam os locais de trabalho requerem flexibilidade no modo de organizar o trabalho e administrá-lo. Para que as pessoas mudem suas maneiras de trabalhar, os gerentes terão que mudar a maneira como gerenciam. Entendemos que cada vez o trabalhador custa mais do que o dobro do seu salário, e um trabalho baseado em informação pode proporcionar uma redução deste custo, além de permitir que se possa ser realizado independente do lugar. Em outras palavras o conceito que todos devem estar trabalhando no mesmo local, tem que ser mudado com a introdução do teletrabalho.

“A noção de espaço para o trabalho, ganha outra conotação econômica na sociedade atual, possibilitado pelo avanço tecnológico, em razão dos novos tempos da telecomunicação.” (Francisco Dias; Profº. Luiz, “A Introdução Teletrabalho na Sociedade Contemporânea com a utilização das ferramentas de comunicação” Trabalho apresentado no Núcleo de Pesquisa Tecnologias da Informação e da Comunicação, Salvador/BA, 2002).




trabalho em casa
O teletrabalho pode ser realizado em qualquer espaço em que se encontre seja ele representado pela própria casa, pelos aeroportos e hotéis, e auto-estrada, considerando para esses últimos os meios de transportes, aviões e carros, não importa desde que esteja com equipamentos corretos, sabendo que estes fatores vêem a contribuir para modificar profundamente os estilos de vidas. E passamos a viver nos novos tempos com uma sociedade nômade que convive com uma sociedade sedentária, que contrapõe o desenvolvimento tradicional dos ciclos de trabalho, dos lazeres, das férias e do comércio e estabelece uma nova forma de entender a visão do conceito espaço dentro de uma organização e o conceito de gestão de pessoas onde o ultimo se torna o ponto fundamental do teletrabalho, tendo que ser discutido para se adaptar as novas mudanças, até porque os chefes tendem a ficar preocupados quando pensam que os seus colaboradores não estarão por perto, e os gestores à moda antiga colocam barreiras ao teletrabalho porque os mesmos têm medo de mudanças.
“As novas formas de organização do trabalho em Teletrabalho exigem, por parte dos administradores das organizações, adotarem procedimentos diferentes aos utilizados anteriormente, em relação ao local, horário de funcionamento, legislação trabalhista e previdenciária ou cível, e, conseqüentemente, ao estilo de administração.” (Motta Vaz de Carvalho; Ricardo, Lopes Barreirinhas; Andreia, Teletrabalho: O trabalho na era digital, Manaus, (2007).



Por fim, há determinadas divergências mais específicas que ocorrem em relação à utilização ou não de tecnologias de informação e comunicação e na periodicidade da quantidade de horas/mês despendidas em atividades que são desenvolvidas fora do escritório tradicional, que serão analisadas mais profundamente em face da legislação trabalhista nacional e estrangeira. E conseguiremos entender melhor ao longo de nosso estudo, sabendo que em face das mudanças das maneiras de trabalho a lei também tende a mudar.
E as novas formas de organização do trabalho em Teletrabalho exigem, por parte dos administradores das organizações, adotarem procedimentos diferentes aos utilizados anteriormente, em relação ao local, horário de funcionamento, legislação trabalhista e previdenciária ou cível, e, conseqüentemente, ao estilo de administração.

Li em um artigo sobre a Virtuall call que o seu fundador William Balboni, quando teve a idéia de criá-la estava lendo um livro que eu admiro muito O Mundo É Plano, livro do jornalista americano Thomas Friedman. Já falei em outro capitulo não sei hoje como a mesma anda vou pesquisar, mas sei foi uma idéia que deu certo. Conforme fala uma reportagem na época negócios de 2009.  O que entendo é que informações como estas, livros como o citado e mentes desenvolvidas farão com que este novo modelo possa ser cada vez ampliado.


Veja mais sobre estas e mais noticias no link aqui.