O Home Office e ou trabalho em casa vem se expandindo no Brasil com o avanço das tecnologias.

domingo, 30 de outubro de 2011

A CULTURA DAS EMPRESAS

A CULTURA DAS EMPRESAS







Trem
Esta postagem é uma continuação do mês de junho, onde nela tenho falado sobre a greve dos trens. Sempre falo sobre trem, pois é a minha principal condução para o trabalho. 

miséria
 Hoje neste post quero falar um pouco sobre preconceito e no link acima se direciona ao blog de Ana Rita Fernandes que fala do preconceito e que o mesmo nos torna em um país de miseráveis. No meu entender eu penso mais longe a cultura brasileira em si nos torna um país de miseráveis, pois se acredita sempre, por exemplo, que se controlar pessoas fisicamente em um ambiente é o mesmo que ter certeza que eles estão trabalhando.  E os trabalhadores por sua vez também acreditam que tem de sair de suas casas para se sentir que irão para o trabalho. E miséria esta associada a tudo no Brasil sempre baseada nesta cultura ultrapassada, não criando novos meios de crescimento por falta de incentivo  ao empreendedorismo e as novas modalidades.

evangelizar
É por isto que na postagem de junho mostra que se precisa primeiro acima de tudo evangelizar este é o termo usado. No mundo evangélico depois de muitas guerras, lutas enfrentamentos e mudança de cultura para distribuí-lo fizeram com que o preconceito parcialmente neste mundo se distinguisse e hoje podemos conviver com qualquer religião em paz, é logicamente que em partes, pois ainda tem muito chão para se percorrer.


digital
E no mundo digital  não será diferente, pois mesmo depois de anos de mudanças e a chegada de novas tecnologias ainda existe muitos no tempo antes da máquina como na revolução industrial. É até assustador pensar, mas talvez essa seja a ultima novidade, ou seja, ultima criação do homem em termos de facilidade, ou talvez não nunca se saiba o que ainda pode vir, porém sabemos que a cada novidade existe a resistência e a dificuldade de aceitação e esta é uma que afetou de cheio não só os empregados, mas também os empregadores.

exame
Porque quando se trata de mudar o comportamento do empregado para criar lucro para o empregador isto é até fácil de aceitar, mas quando se tem que mudar o comportamento dos dois e falar para o empregador “Você não precisa ter um empregado aqui para te dar lucro.” É quando ele se assusta, porque ele esta acostumado a dar ordens, a pressionar, até mesmo a ameaçar, ou chantagear.
minutoarapiraca

images
E se vê que este seu empregado pode ter liberdades nunca antes existente, sem a necessidade de estar perto para estar produzindo, ou seja, que o importante é a maneira que ele trabalha em qualquer lugar do mundo, e que a pressão e o comando lhe são tirado fica difícil aceitar. Onde há muito diziam que as máquinas iriam substituir o homem no trabalho, se vê uma nova ordem mundial, o homem que é mais criativo continuara trabalhando, porém sem ter que estar com seu corpo preso dentro de um espaço sim livre em qualquer lugar até na praia podendo se conectar com o mundo.

working
Agora chegou a hora de mudar, assim como as máquinas substituíram as rocas no mundo antigo, no mundo digital também pode se trabalhar sem precisar estar presente no trabalho, lembrando que é claro não é todas as funções, porém as que não dependem de corpo estas poderão ser modificadas.


“Quando falamos de mudanças que decorrem de novas realidades econômicas imediatamente pensamos em globalização. Na verdade, o fenômeno da globalização e o desenvolvimento tecnológico andam juntos, pois o último foi essencial para a possibilitar a globalização. Como diz Naisbitt, "as telecomunicações são a força propulsora que está, simultaneamente, criando a gigantesca economia global e tornando as suas partes menores e mais poderosas” (1994:53). A tendência no mundo atual são empresas pequenas e médias ou grandes corporações reestruturadas num sistema de redes de empreendedores. A razão está na necessidade das empresas terem maior flexibilidade nestes tempos de mudanças aceleradas, com propensão a permanecer.” (Mesquita Fetzner; Maria Amélia de, A Viabilidade do Teletrabalho na Procempa. Dissertação (Mestrado em Administração–Modalidade Profissional) Universidade Federal do Rio Grande do Sul- Rio Grande do Sul).
teletrabalhador















Assim podemos entender que dentre as profundas modificações experimentadas na sociedade e, em especial, as que se produzem no mundo do trabalho observamos movimentos em direção a formas de trabalho flexível, entre as quais se insere o Teletrabalho. Sem ser propriamente novo no cenário mundial, como já vimos antes e no Brasil ele surge com maior expressão recentemente, passando a ocupar espaços na mídia em geral e nos ambientes universitários.

Todavia, são poucas as referências acadêmicas brasileiras ao assunto e estudos se fazem necessários, porque o acesso cada vez mais facilitado à internet resulta na possibilidade de recolher uma grande quantidade de informação, anteriormente dificultada por distâncias físicas. A utilização da rede traduz-se num aumento de produtividade (uma vez que evita deslocações de casa para o local de trabalho, assim como visitas a clientes e fornecedores).
working















As transformações tecnológicas que interligam os locais de trabalho requerem flexibilidade no modo de organizar o trabalho e administrá-lo. Para que as pessoas mudem suas maneiras de trabalhar, os gerentes terão que mudar a maneira como gerenciam. Entendemos que cada vez o trabalhador custa mais do que o dobro do seu salário, e um trabalho baseado em informação pode proporcionar uma redução deste custo, além de permitir que se possa ser realizado independente do lugar. Em outras palavras o conceito que todos devem estar trabalhando no mesmo local, tem que ser mudado com a introdução do teletrabalho.

“A noção de espaço para o trabalho, ganha outra conotação econômica na sociedade atual, possibilitado pelo avanço tecnológico, em razão dos novos tempos da telecomunicação.” (Francisco Dias; Profº. Luiz, “A Introdução Teletrabalho na Sociedade Contemporânea com a utilização das ferramentas de comunicação” Trabalho apresentado no Núcleo de Pesquisa Tecnologias da Informação e da Comunicação, Salvador/BA, 2002).




trabalho em casa
O teletrabalho pode ser realizado em qualquer espaço em que se encontre seja ele representado pela própria casa, pelos aeroportos e hotéis, e auto-estrada, considerando para esses últimos os meios de transportes, aviões e carros, não importa desde que esteja com equipamentos corretos, sabendo que estes fatores vêem a contribuir para modificar profundamente os estilos de vidas. E passamos a viver nos novos tempos com uma sociedade nômade que convive com uma sociedade sedentária, que contrapõe o desenvolvimento tradicional dos ciclos de trabalho, dos lazeres, das férias e do comércio e estabelece uma nova forma de entender a visão do conceito espaço dentro de uma organização e o conceito de gestão de pessoas onde o ultimo se torna o ponto fundamental do teletrabalho, tendo que ser discutido para se adaptar as novas mudanças, até porque os chefes tendem a ficar preocupados quando pensam que os seus colaboradores não estarão por perto, e os gestores à moda antiga colocam barreiras ao teletrabalho porque os mesmos têm medo de mudanças.
“As novas formas de organização do trabalho em Teletrabalho exigem, por parte dos administradores das organizações, adotarem procedimentos diferentes aos utilizados anteriormente, em relação ao local, horário de funcionamento, legislação trabalhista e previdenciária ou cível, e, conseqüentemente, ao estilo de administração.” (Motta Vaz de Carvalho; Ricardo, Lopes Barreirinhas; Andreia, Teletrabalho: O trabalho na era digital, Manaus, (2007).



Por fim, há determinadas divergências mais específicas que ocorrem em relação à utilização ou não de tecnologias de informação e comunicação e na periodicidade da quantidade de horas/mês despendidas em atividades que são desenvolvidas fora do escritório tradicional, que serão analisadas mais profundamente em face da legislação trabalhista nacional e estrangeira. E conseguiremos entender melhor ao longo de nosso estudo, sabendo que em face das mudanças das maneiras de trabalho a lei também tende a mudar.
E as novas formas de organização do trabalho em Teletrabalho exigem, por parte dos administradores das organizações, adotarem procedimentos diferentes aos utilizados anteriormente, em relação ao local, horário de funcionamento, legislação trabalhista e previdenciária ou cível, e, conseqüentemente, ao estilo de administração.

Li em um artigo sobre a Virtuall call que o seu fundador William Balboni, quando teve a idéia de criá-la estava lendo um livro que eu admiro muito O Mundo É Plano, livro do jornalista americano Thomas Friedman. Já falei em outro capitulo não sei hoje como a mesma anda vou pesquisar, mas sei foi uma idéia que deu certo. Conforme fala uma reportagem na época negócios de 2009.  O que entendo é que informações como estas, livros como o citado e mentes desenvolvidas farão com que este novo modelo possa ser cada vez ampliado.


Veja mais sobre estas e mais noticias no link aqui.




terça-feira, 25 de outubro de 2011

A FORÇA DE TRABALHO VIRTUAL CHEGOU PARA FICAR

A FORÇA DE TRABALHO VIRTUAL CHEGOU PARA FICAR





Muitas empresas preocupadas com a qualidade de vida de seus colaboradores estão a cada dia mais criando novos modelos de gestão e benefícios. Em uma reportagem de capa da REVISTA EXAME de agosto de 1999, já se publicava uma matéria sobre o mundo digital era o inicio da era da internet e já muitas empresas estavam antenadas com a conexão e a modernização de seus padrões para o mundo digital. Vale salientar que para a época era até assustador até por conta dos modelos de gestão tão padronizados em sua maioria tudo em papeis muitas empresas na época usavam somente a maquina de datilografia, outras a internet ainda nem tinha se instalado em seu sistema que por sinal ainda eram precários. Mais já havia empresas e pessoas que já sonhavam com esta modalidade prova-se então que não é um modelo novo, porém é o Brasil que precisa mudar pra este modelo.


          
“Para reter seus funcionários, empresas como a FedEx têm apostado nos Estados Unidos em um ambiente mais balanceado, com horários flexíveis, trabalho em casa e programas de treinamento conjuntos com universidades. Dos 270 000 funcionários da IBM, 100 000 já não têm lugar fixo de trabalho. "Um novo conjunto de padrões de trabalho vai emergir", diz Jonathan Judge, líder do grupo de gestão na Web da IBM. (Helio Gurovitz, revista exame, 1999.).”





         As empresas há tempos vêem este novo modelo como nova forma de manter seus funcionários e também de reduzir custos e alcançando também benefícios para ambas as partes. 






“Mais que ninguém, a Cisco sabe que os sites de empregos estão oferecendo oportunidades a um clique de distância. Reter talentos é essencial a quem quer sobreviver na selva dos bits. As próprias empresas do mundo dos átomos vão descobrindo isso a duras penas, à medida que os melhores funcionários começam a largar o emprego para montar negócios na Web. É o caso de Sharon Goldstein, de 27 anos. Ela trabalhava na Andersen Consulting havia três anos quando resolveu voltar para a faculdade. Depois de terminar o MBA, recusou três ofertas de emprego em consultorias. "Não importa quanto eles me paguem, não vou conseguir acordar de manhã com vontade de ir trabalhar", disse ela à revista Fortune. Goldstein foi trabalhar na empresa de áudio e vídeo para a Internet RealNetworks. (Helio Gurovitz, revista exame, 1999.)”   

                                                                                                                                                       



A cada momento existem mais empresas que estão contratando os funcionários mais longe sem os mesmos precisar mudar de sua localidade. Uma das tendências é o Offshore outsourcing (Offshore outsourcing é o termo em inglês que se refere à migração dos serviços para um fornecedor fora do país). A ideia é buscar as melhores condições de prestação de serviços, independente da localização do fornecedor. Hoje existem fornecedores de serviços como na terceirização, por exemplo, porém a terceirização mesmo sendo global na maioria das vezes se torna local. Porém nos fornecedores de serviços distantes é um pouco diferente, exemplo na Índia existe contadores altamente capacitados que trabalham para seus clientes independentes onde os mesmos se encontrem, calculando seus impostos de renda, entre outras contas e as enviando por email. É esta a diferença independente onde estejam eles prestarão o serviço aos seus clientes.

Conheço pessoas que trabalham como vendedores, por exemplo, de produtos e serviços que trabalham para empresas em outro estado, porém permanecem morando no mesmo lugar. Onde fazem suas vendas e  envia tudo por e-mail para a contratante. Somente quando há reuniões periódicas é que viajam para a sede da empresa contratadora de serviço e tudo por CLT.       Exemplo uma empresa de produtos relacionados a construção civil localizada em Minas Gerais tem vendedores em SP e outros estados sem ter necessidade de estar fisicamente na empresa.


TRABALHO DO FUTURO

TRABALHO DO FUTURO



Fonte: Qualidade Simples
As empresas e os trabalhadores estão cada vez mais se adaptando ao trabalho do futuro. Com isto criando ambientes e ferramentas favoráveis para melhor desenvolve-lo. Com este trabalho não significa que em um passo de mágica tudo pode mudar e que desaparecerão os prédios e escritórios em geral como diz o autor blog flexiv, que fala sobre o trabalho no futuro, eles serão ainda mais um espaço só sofrerão alterações. E ainda assim é um tanto difícil esta nova realidade se adaptar, haja vista que uma das dificuldades para implantação se da ao fato que a maioria das residências não são construídas no padrão de Home Office, mesmo os apartamentos a maioria são sempre padrão de dois dormitórios e uma pequena sala, cozinha e banheiro. Os espaços são limitados e é bem mais fácil sair do que ficar. Outra questão é a tecnologia onde em muitos lugares as companhias de banda larga e telefonia não investiram neste serviço. Que na maioria das vezes só atendem grandes centros deixando a desejar nos lugares mais distantes onde são nestes lugares que precisa de um pouco mais de atenção.


E até mesmo nos grandes centros muitas vezes por muitos problemas a situação se complica em relação a internet, muitas vezes por questão de clima e outros problemas que afetam a comunicação faz com que fiquem até dias empresas paradas por motivo de manutenção, e outras complicações relacionada ao serviço. Muito se tem que ser feito ainda a este respeito, porém o esforço a este respeito tem sido maior do que os problemas, e além de todas as possibilidades de acesso a internet já  se tem comentado aqui,  a maior novidade hoje é a rede via fibra ótica, onde a telefônica, por exemplo, tem procurado o máximo a ampliar este serviço, e outras novas empresas também esta chegando no mercado com esta nova modalidade. Isto significa que esta perto de acontecer o novo modo de trabalharmos.




   
Embora existem muitas barreiras culturais que impede que haja uma liberação do trabalho em casa, mas este conceito já esta conhecido em todo o mundo e a cada dia aumentam as empresas que quer se aderir a esta modalidade devendo assim ser criada leis que as regularize. Hoje a tecnologia esta cada vez avançada além do qual esta mais acessível em determinados lugares a comunicação via web esta quase de graça, hoje tem internet via radio, rede elétrica e tantas outras coisas que nos anos 1990 não se via falar principalmente no Brasil. Os trabalhadores remotos já esta provado que se tornam mais produtivos do que os de escritórios normais.     




Tem menos interrupções por parte de companheiros que às vezes se distraem com muitas conversas, por parte do gestor que faz muitas cobranças e também de reuniões improdutivas que passam horas a fio e nunca chegam a um senso comum. Pior é quando permanece por horas na empresa somente para aguardar telefonemas como é o caso de recepcionista e telefonista, ou outro trabalho semelhante que se é obrigado a ficar no local somente para cumprir horários, exemplo típico são funcionários públicos em sua maioria agentes de escola antigos escriturários.


O que uma empresa necessita em um funcionário é de sua cabeça (seu intelecto), onde ele pensa e com suas idéias transformam. Já no tempo das indústrias manufaturadas era necessário a mão de obra, onde as pessoas eram sobrecarregadas de trabalho e na sua maioria tinham que se trabalhar até 16 horas por dia. Logicamente não são todas as funções que podem ser desenvolvida a partir de casa há determinadas funções que sempre existira o trabalhador presente, porém as funções da área de tecnologia todas praticamente, desde um suporte e manutenção de computadores e redes (não físico), por exemplo, até programadores, desenvolvedores analistas entre outras funções que se exigem mais a mente do que o corpo, as administrativas também seguem o mesmo caminho, onde existem muitos contadores a exemplo da Índia prestando seus serviços em casa. Assim também o trabalho remoto cada vez mais esta em constante comunicação com países mais distantes e fusos horários diferentes.

No trecho abaixo do livro O MUNDO É PLANO nós vemos uma conversa entre o autor do mesmo e uma atendente de uma determinada empresa que trabalha em casa, que nos mostra a abrangência e repercussão do trabalho remoto.




“... sentada no meu escritório, no andar de cima da minha casa, e pela janela vejo que está um dia lindo lá fora. Cinco minutos atrás, outro cliente me fez a mesma pergunta, então ele disse: "Que bom, achei que a senhora fosse me dizer que estava em Nova Delhi. Onde a senhora mora? Salt Lake City, Utah. Moro numa casa de dois andares e adoro trabalhar aqui, principalmente no inverno, vendo, daqui do meu escri­tório, a neve caindo lá fora. E como a senhora conseguiu esse emprego? A empresa não anuncia — explicou ela, com a voz mais doce que se pode imaginar. — É tudo à base do boca a boca. Fui funcionária do governo do Estado e, pouco depois da minha aposentadoria, comecei a sentir falta de trabalhar. Adoro o meu emprego.” (Friedman; Thomas L. 2005, pag. 49.).

      Também vemos aonde o autor vai mais longe quando comenta sobre o fundador da JetBlue Airways Corp, companhia que tem quatrocentos agentes trabalhando em casa como mostra o texto. O autor deixa claro que espera uma sociedade melhor, se as mães puderem ficar em casa com seus filhos pequenos. Nós vamos, além disso, se a família puder cada um ter não só a responsabilidade de trabalhar mais de cuidar de seus filhos tanto os pequenos quanto os adolescentes e ter mais tempo para os mesmos a sociedade se torna mais justa.  Porque quando alguém sai para trabalhar longe e ficam horas preso em transito ou dentro de trens, ou outro tipo de transporte e depois trabalha até mesmo quatorze horas por dia nunca que estes pais poderão saber o que se passa com sua família em casa.


“David Neeleman, fundador e principal executivo da JetBlue Airways Corp., denomina a sua opção de homesouráng (trocadilho com as palavras home, casa, e outsourcing, "terceirização". Em português, "terceirização doméstica") . A companhia tem quatrocentos agentes de reservas na região de Salt Lake City, que, como Dolly, trabalham em casa e administram os pedidos de reservas quando não estão cuidando das crianças, fazendo ginástica, escrevendo um livro ou preparando o jantar. (...) Neeleman tem uma razão pessoal para querer assim. Como mórmon, acredita que teremos uma sociedade bem melhor se as mães puderem ficar em casa com os filhos pequenos, mas ao mesmo tempo também gozar de um trabalho remunerado. (...).” (Friedman; Thomas L.,2005, pag. 49.).

           
         Sendo assim muitas empresas também preocupadas com a qualidade de vida de seus colaboradores como no exemplo acima estão a cada dia mais criando novos modelos de gestão e benefícios.


A pior coisa para qualquer mãe é não poder acompanhar o crescimento de seus filhos. Ir em uma reunião de escola, ver sua apresentação de um trabalho, ou recital, poder estar com eles em seus melhores ou piores momentos. Quantas crianças hoje estão se destruindo misturado com tantas coisas enquanto seus pais levantam pela madrugada, tomam conduções lotadas e se sacrificam para ir a trabalhos distantes que muitas vezes no final do mês não compensa todo este sacrifício por força de salários e benefícios não compensadores. Sacrifício este que faz pensarmos perdemos tanto tempo de nossas vidas e que fizemos de importante para nossas famílias.




         Esta parte do blog hoje ficou um tanto carregada, porém na mesma senti a necessidade de expor o que é importante para se juntarmos todos que pensam como eu que esta na hora de passarmos a trabalhar na nossa casa.


      Hoje por exemplo, foi um dia em que levantei de madrugada, meu esposo me deu uma carona até a estação de trem o primeiro trem que estava na estação foi impossível entrar. O segundo cheguei até sentar, onde se manteve lotado até a estação do meu destino e ai foi a ultima condução o fretado da empresa impossível entrar a fila grande. Mas no fim de tudo cheguei atrasada até o transito que fica no trecho entre a estação e a empresa colaborou um pouco. Resumindo você fica estressado com tudo e quando chega na empresa sua produção fica baixa.

 Outrossim tem a volta onde os trens de nossas regiões Brasileiras com todos os investimentos sendo realizados até mesmo em São Paulo continua impossível de viajar. Semana passada quando voltava do trabalho fomos avisados em uma determinada cidade que o trem não prestaria mais serviço e que não teríamos previsão de viagem, imaginem o tumulto. Conforme reportagens, do R7 e outros autores, até mesmo na linha muitos andaram eu estava lá. Pedi para um parente me buscar na estação e assim consegui chegar em casa. Disse para alguns amigos se eu tivesse uma câmera eu iria gravar isto tudo. No fim hoje aconteceu um problema parecido, por fim em pouco tempo desta vez se restabeleceu mais rápido.

                     
 Enfim pensem nisso, o trabalho em casa é melhor.




A foto  publicada no site blogadão há algum tempo atrás  nos retrata como é melhor trabalhar em casa.




sábado, 15 de outubro de 2011

O AUMENTO DO TRABALHO REMOTO

 O AUMENTO DO TRABALHO REMOTO


 

O famoso (Trabalhe em casa) está se multiplicando a cada dia.





"De que adianta investir uma fortuna para trazer para o centro da cidade corpos pesando 80 quilos, se o que vocês querem são os cérebros deles, que pesam 3,8 quilos?”



O trabalho remoto tem-se multiplicado a cada dia e ao longo dos anos esse cenário poderá aumentar. Porém mesmo que já esteja implantado no cronograma de empresas globais ainda assim existe muita resistência, por parte dos empregadores principalmente brasileiros onde estão acostumados a dar ordens sobre o critério de subordinação, aonde o significado da palavra subordinação é de etimologia latina e provém de sub, que quer dizer baixo e ordinare que significa ordenar, resultando daí que a subordinação significa sujeição ao poder de outrem, às ordens de terceiros, uma posição de dependência.


Sabemos que no Brasil ainda não existe uma regulamentação de lei para trabalhadores remotos precisa-se assinar a Convenção nº 177 de 1996 sobre trabalho a domicílio que foi adotada, porém não regulamentada, em outro capitulo estaremos abordando melhor a questão de leis. Também além da resistência do empregador o próprio empregado ainda vê com maus olhos e com preconceito, acham que teletrabalho é apenas o trabalho em domicilio formado por trabalhadores autônomos. 
Faz-se necessário realizar-se muito estudo e desenvolvimento do entendimento de cada um nesta questão com exemplos e demonstrações práticas, embora vejamos acima que o autor diz sobre a questão da locomoção da pessoa em relação ao trabalho e em seguida demonstra exemplos, também existe a preocupação sobre a segurança e esta é a parte crucial para que haja um bom desempenho do mesmo, até porque se existe um jeito da pessoa trabalhar principalmente a mulher delegando funções e cuidar de sua família em um só ambiente pra que ter que ficar horas trancafiadas dentro de um escritório e de trânsitos complicados como, por exemplo, o de São Paulo e do Rio de Janeiro. Vemos todos os dias na mídia o quanto de acidente que acontece no transito que já parece uma bomba relógio prestes a explodir. 
Além do mais também que o aluguel de espaço nos grandes centros esta ficando cada vez mais caro, existe grandes incorporadoras, por exemplo, de call centers como a Spcom, Atento e a Contax que contratam milhões de funcionários para atendimentos que usam apenas um computador e um Had fone todos compondo várias PAS. Estes trabalhadores precisam tomar conduções às vezes de longe, cumprir seus horários maçantes suportar os clientes e a preção da empresa onde acaba transformando este pessoal em robôs eletrônicos tendo os mesmos de gravar seus scripts como se fossem atores seguindo roteiros e por fim acabam se stressando e desenvolvendo até mesmo uma conduta agressiva. 
 Este quadro poderia mudar se adotassem a posição da Virtual Call, por exemplo, que por sinal é a única empresa de Contact Center no país que adotou a posição de ter seus colaboradores trabalhando a partir de casa, onde se usa as mesmas ferramentas, porém na casa dos mesmos.
 

Figura 8: Gerenciamento de Operação na Virtual Call.
Fonte: Virtual Call

               O texto acima faz parte do meu TCC criado para minha graduação em 2009. Na época esta empresa acima a Virtual call em parceria com a  http://www.ntk.com.br/  contratavam pessoas para trabalhar a partir de casa, hoje não tenho mais informações atualizadas sobre a Virtual Call o que acredito que o que pode ter ocorrido com a mesma é ter mudado de nome e/ou ter sido incorporada por alguma gigante do ramo de call center e redes. Já a Ntk sei que o seu ramo é voltado para redes e soluções inteligentes como informa seu site. Hoje em dia tem ocorrido muito de muitas empresas serem incorporadas, exemplo disto é a Gpti que era uma empresa voltada para soluções de informática e softwares e hoje esta também com soluções de call center e assim tem se tornado o Todo http://www.todo.com.br/.  
             Mas enfim voltando ao assunto central o que importa é que assim como a Virtual call foi uma das pioneiras neste assunto hoje tem muitas empresas que continuam neste ramo de contratações, exemplos já citados no bog mais vale apena reprisar. Temos elas a Gol, a Tectotal, Ticket entre outras.  Além do que já existem empresas que até mesmo as entrevistas são online.

                Veja vídeo abaixo sobre entrevista online para emprego:



     







            

             




domingo, 9 de outubro de 2011

PERFIL DO TELETRABALHADOR

PERFIL DO TELETRABALHADOR


Para realização do teletrabalho devemos considerar alguns fatores: plano das tarefas no contexto organizacional, ambiente doméstico (tanto família como casa), personalidade, experiência, preferências da pessoa, aspecto individual, envolvendo questões de personalidade e perfil psicológico. Pessoas com falta de autodisciplina, que não diferenciam entre ambiente doméstico e profissional e certos indivíduos que podem tornar-se viciados em trabalho e pessoas que podem se sentir solitárias se o trabalho não exigir contatos regulares com outras não irão se adaptar ao Teletrabalho a não ser que haja um acompanhamento muito bem feito com treinamentos e acompanhamento psicológico. O Teletrabalho pode ser atraente para uma pessoa e para outra não. Trata-se de uma questão muito pessoal e não há uma personalidade “certa” ou “errada” para o mesmo, portanto, as questões individuais de personalidade devem ser consideradas.





Focalizar esses aspectos, estabelecendo as condições ótimas para o Teletrabalho, nas quais os assuntos de personalidade terão um impacto mínimo e então lidar com as preferências e atitudes individuais numa base de escolha pessoal ou período de experimentação voluntária. Com relação às tarefas, além de determinar se essas podem ser feitas via Teletrabalho, é útil verificar se ele será apropriado às mesmas ou se contribuirá para a melhoria dos seus resultados. No contexto organizacional, propõem a organização em rede como a ideal, na qual os empregados gozam de empowerment (poder e autoridade) e as chefias confiam em si, na organização e no seu staff. Por fim, o ambiente doméstico (casa e família) requer considerar condições físicas e psicológicas.
o
É necessário um ambiente físico onde o teletrabalhador possa se isolar, pelo menos parcialmente, das atividades domésticas e, do ponto de vista emocional, que o Teletrabalho seja uma combinação adequada para o trabalhador e o resto da família.


PERFIL IDEAL PARA TRABALHO REMOTO
 (TELETRABALHO)

Segundo vários autores o perfil para teletrabalho é relatado em resumo em dois aspectos, o ideal e o não ideal sendo a seguir:

O Perfil ideal:
Possui um ambiente doméstico estruturado;
Possui entusiasmo em relação às perspectivas que surgem;
Possui a condição de conciliar o trabalho com a família dentro de casa;
Pessoas com habilidade para administrar o próprio tempo e carga de trabalho.

O Perfil não ideal:

Pessoas com dificuldades para traçar limites entre vida profissional e pessoal;
Pessoas que estão trabalhando mais horas do que as efetivamente trabalhadas;
Pessoas com falta de autodisciplina;
Pessoas com necessidade de supervisão física direta;
Pessoas incapazes de combater certos "vícios" que podem se desenvolver, como gula, drogas e alcoolismo.